BEM-VINDOS A ESTE ESPAÇO

Bem-Vindos a este espaço onde a temática é variada, onde a imaginação borbulha entre o escárnio e mal dizer e o politicamente correcto. Uma verdadeira sopa de letras de A a Z num país sem futuro, pobre, paupérrimo, ... de ideias, de políticas, de educação, valores e de princípios. Um país cada vez mais adiado, um país "socretino" que tem o seu centro geodésico no ministério da educação, no cimo do qual, temos um marco trignométrico que confundindo as coordenadas geodésicas de Portugal, pensa-se o centro do mundo e a salvação da pátria.
__________________________________________________________________

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

EMAILS QUE IMPLICAM O ZÉZITO


E-mails recebidos pela Freeport ilustram amplamente a corrupção. O Estudo de Impacto Ambiental é o que requer maiores ‘luvas’, designadas por ‘bribery’. Um dos homens-chave português é designado por ‘Pinocchio’. A empresa conhecia por antecipação as decisões políticas

Os E-MAILS recebidos em 2001 e 2002 pelos responsáveis da Freeport no Reino Unido, provenientes de Portugal – designadamente de Charles Smith, sócio da empresa contratada para obter as aprovações necessárias à construção do outlet de Alcochete –, implicam José Sócrates e responsáveis de organismos do Ministério do Ambiente e da Câmara de Alcochete numa negociação quanto aos passos a dar para conseguir que o empreendimento tivesse luz verde.

Estes e-mails revelam ainda uma grande promiscuidade entre os representantes da Freeport e esses dirigentes, bem como um conhecimento antecipado das decisões oficiais e das datas em que seriam tomadas.

Na correspondência trocada, as «bribery» – pagamentos por baixo da mesa ou ‘luvas’, acordados entre os dois lados – são palavras recorrentes.
Alguns excertos dos e-mails trocados:
- «tudo deve estar concluído antes do novo Governo tomar posse»
- «tenho estado sob ordens muito rígidas do ministro para não dizer nada»
- «enviar a taxa em duas partes, uma para o Estudo de Impacto Ambiental e outra para os protocolos. Tenho as pessoas sob controlo graças a essa transferência»
- «para o Estudo de Impacto Ambiental é necessário pagar mais 50K. Não digo para pagar já, faça só a transferência»

O dia 14 de Março é o dia mais importante para que tudo se resolva”, lê-se na mensagem que Charles Smith enviou, a 10 de Março de 2002, para Garry Russell, director do Freeport no Reino Unido. Foi dia 14 que o aval ambiental foi conseguido.

Num dos e-mails o engenheiro escocês alerta Russell: “Na reunião de 17 de Janeiro assumiste que pagávamos pelo estudo de impacto ambiental 90 por cento à cabeça, mas aconselho-te a dividir a quantia em três ou mais tranches”. Terá sido nesta data que, segundo a carta rogatória inglesa, José Sócrates participou num encontro com responsáveis da empresa.

VÍTIMA DE UMA "CAMPANHA NEGRA"

Parece que sim, Sócrates está a ser vítima de uma, imagine-se ... "campanha negra".

Uma "campanha negra" que não é de agora:

- No dia 13 de Fevereiro de 1992 aparece na Assembleia da República um Registo Biográfico FALSIFICADO com a sua própria letra. Até hoje, NINGUÉM foi capaz ainda de explicar como foi possível aparecerem 2 cópias escritas por ele próprio, cada uma delas com informações diferentes sobre as suas habilitações literárias e profissão.

- No dia 08 de Setembro de 1996, a um DOMINGO, enquanto grande parte dos portugueses ia à missa, José Sócrates "licenciou-se" em "engenharia civil". Já nem vale a pena falar na "campanha negra" que foi a equivalência de 26 disciplinas, no exame por FAX ou no amigo-professor-António-Morais que lhe fez os "exames". Mais tarde, no âmbito da mesma "campanha negra", a 31 de Outubro de 2007, José Sócrates encerra a Universidade que lhe deu o curso, face ao conjunto de vergonhas que se foi sabendo, e antes que se viesse a saber mais alguma coisa.

- Em 13 de Maio de 2008, há uma "campanha negra" que apanha José Sócrates a fumar num avião desobedecendo, em absoluto, àquilo que ele próprio tinha legislado e que antes mesmo já não era permitido em aviões. Queixinhas, informou os jornalistas que não tinha sido só ele, também o Ministro Manuel Pinho o tinha feito. E para completar a "campanha negra" ... NÃO PAGOU A MULTA!

- Em 31de Janeiro de 2008, a "campanha negra" continua. O jornal Público denunciava que Sócrates assinava projectos de casas na Guarda das quais não era o autor mas sim Manuel Caldeira, funcionário da câmara municipal da Guarda e um colega de "curso" da Universidade Independente (dos 22 projectos localizados por amostragem, 16 foram aprovados em menos de um mês; desses houve nove aprovados em menos de dez dias e, destes, três em menos de três dias).

Desta "campanha negra" voltou-se recentemente a falar quando o Presidente da Câmara Municipal da Guarda, Joaquim Valente, também este colega de "curso" de Sócrates na Universidade Independente (irrra ... sempre a Independente) e autor de um dos projectos que Sócrates assinou, arquivou um inquérito feito a este caso por uma comissão "independente" feita por empregados ... da própria autarquia.

- Agora, é o caso Freeport. Não sendo o ministro José Sócrates diferente do primeiro-ministro José Sócrates no rigor pela transparência, avaliações e correlativas estatísticas e no empenho em inovações, urge a pergunta: mandou investigar a denúncia que teve?

Vejamos! O tio telefona-lhe e diz «recebe lá beltrano porque lhe querem sacar 4 milhões (e aqui não interessa o quê, podem ser caricas!), para aprovar um projecto que o coitado do homem tem pendurado há anos...». O ministro, voluntarioso e amante de trabalho e de preto no branco, acede e reúne - uma vez, dizem uns, duas ou mais, dizem outros -, com beltrano e mais uns interessados do Ministério, da Câmara e "civis".

Motivo da reunião(ões): um caso emperrado há uns anos e mais uns cobres que querem extorquir e que beltrano deve achar muito, penso eu.
Conclusão da reunião(ões): projecto aprovado e luvinhas passadas (dizem uns!), para que mãos, não se sabe, ou sabe-se e não se quer acreditar.

Então, e a questão dos 4 milhões como é que ficou? O sr. ministro não mandou investigar; não quis saber quem era ou eram os totalistas? Sinceramente, 4 milhões é muita coisa, seja do que for! Não dá para esquecer ou disfarçar. Ou é normal, normalíssimo, e ninguém se importou, nem o zeloso ministro?

Respondida esta questão, comprovar-se-á a "Campanha Negra" a que alude. Deixar-se-á de pensar que possa ter recebido algo em troca da sua voluntariedade. Não acredito que o ministro, picuinhas como é e era - lembram-se do caso Souselas -, não quisesse extirpar esses tumores.

Parece que tudo está claro, estão-lhe a montar uma "campanha negra", basta dizer que o tio que lhe diz que "alguém" quer 4 milhões de luvas e ele não chama a Judiciária nem o Ministério Público. No mínimo, isto é demasiado amador, qualquer criança denunciava IMEDIATAMENTE o facto.


E a relação familiar e pessoal com os OffShores? Comprar através de um OffShore não é fugir aos impostos?

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

POR UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA E DE CIVISMO

Para que consigamos manter a nossa sanidade mental durante alguns anos mais





quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

NIB PARA O PARECER DE GARCIA PEREIRA

NIB: 0018.0003.20167359020.29

IBAN: PT50.0018.0003.20167359020.29


A conta está aberta. Colabore.

Envie para o NIB indicado o que quiser nesta nova forma de luta de levantarmos uma acção judicial contra o ME embora, como referência, tenhamos estado a transferir 10€.

A conta foi aberta pelo Paulo Guinote, editor do Blog Educação do Meu Umbigo, e tem por finalidade suportar custos dos pareceres jurídicos ao advogado Garcia Pereira e toda a tramitação judicial.

OBJECTIVOS INDIVIDUAIS

Saibamos honrar a luta que até aqui travámos.

Saibamos ser solidários com todos aqueles professores que têm lutado em nome de TODOS, muitos deles sem qualquer necessidade disso.

A honra não se compra, glorifica-se!



AINDA OS PROJECTOS DE ENGENHARIA "DO ENGENHEIRO" JOSÉ SÓCRATES

A Câmara Municipal da Guarda, onde o PS é maioritário, através do seu presidente da Câmara Municipal, José Valente, que foi colega de "curso" do sr. "engenheiro" José Sócrates na Universidade Independente, vai divulgar hoje o relatório de conclusões sobre o caso dos projectos de engenharia que José Sócrates assinou naquele concelho ao longo dos anos 80, feito por funcionários da própria Câmara Municipal.

Recordo que o jornal Público referiu que, muitos dos projectos terão sido feitos por engenheiros técnicos que tinham sido seus colegas de curso e eram funcionários da Câmara Municipal da Guarda, não podendo assiná-los por impedimento legal.
O Público adianta que em alguns casos, os documentos eram manuscritos com a letra de Fernando Caldeira, um colega de curso do actual primeiro-ministro que era funcionário daquela autarquia e que, por isso, não podia assumir a autoria de projectos na área do concelho.

Não podia haver melhor isenção para um caso como este.
Depois dos primos e dos sobrinhos e do Smith e não sei de que mais, ... outra vez os amigos!!

Em Fevereiro do ano passado, o jornal «Público» noticiou que vários projectos assinados por José Sócrates e submetidos a aprovação entre 1981 e 1990 tinham em comum o facto de serem rapidamente aprovados, (curiosamente, um problema comum à Freeport) apesar de reparos e observações críticas dos arquitectos da repartição técnica da Câmara da Guarda e até de pareceres contrários da administração central.

Segundo o «Público», José Sócrates, na qualidade de engenheiro, também terá assinado numerosos projectos de arquitectura e engenharia relativos a edifícios na Guarda, ao longo da década de 1980, cuja autoria os donos das obras garantem não ser dele, uma situação desmentida pelo actual primeiro-ministro, que garantiu «a autoria e a responsabilidade de todos os projectos» que assinou.

A VERDADE UMA VEZ NA VIDA


terça-feira, 27 de janeiro de 2009

DO FALSO RELATÓRIO DA OCDE SOBRE EDUCAÇÃO, AO DESCARAMENTO DA SUA DIVULGAÇÃO

Há muitas décadas que leio relatórios da OCDE sobre Educação e eu nunca vi uma avaliação sobre um período da nossa democracia com tantos elogiosJosé Sócrates, 26 de Janeiro de 2009

““Eu nunca disse que o relatório é da OCDE José Sócrates, 28 de Janeiro de 2009

Agora pergunto eu: Não será isto uma "Campanha Negra contra os professores?

José Sócrates promoveu a apresentação do "alegado" relatório da OCDE, realizado por peritos que ele faz toda a questão em dizer que são "independentes" que elogiava as políticas do Ministério da Educação e a coragem dos Governantes.

Acontece que, de facto, o estudo não é da OCDE. É desenvolvido por um grupo de peritos "liderado por Peter Matthews" e segue os critérios ("metodologia e abordagem") da OCDE.

E baseia-se nas informações fornecidas pelo ME. As fontes documentais e informações recolhidas tinham TODAS por base informações e registos do próprio Ministério da Educação.


Na página de rosto do ME, pode ler-se o seguinte:


"Solicitado pelo Ministério da Educação (ME), este estudo corresponde a uma avaliação intermédia, realizada durante a fase de implementação das reformas, com o objectivo de verificar se as medidas desenvolvidas estão a atingir os resultados previstos e se as estratégias adoptadas devem ser ajustadas em função da experiência. Liderada pelo professor Peter Matthews, esta avaliação seguiu a metodologia e a abordagem que a OCDE tem utilizado para avaliar as políticas educativas em muitos países-membros, ao longo dos anos, com resultados positivos".


Os peritos que realizaram o estudo sobre o ensino básico, a pedido do Governo e bem pagos por todos nós (fala-se em 25.000€/mês a cada um), de "independentes têm muito pouco. Basta ver que um dos autores é o socialista Alexandre Ventura, Presidente do Conselho Científico para Avaliação de Professores, nomeado para o cargo recentemente por este mesmo governo.

E agora vejam qual é a tal metodologia que a OCDE costuma adoptar para avaliar políticas educativas em vários países. Reuniram com parceiros locais e perguntaram aos autarcas a opinião que tinham sobre as políticas do Governo.
E que autarquias foram ouvidas pelos peritos?

Guimarães - (Partido Socialista)
Gondomar - (independente)
Santo Tirso - (Partido Socialista)
Amadora - (Partido Socialista)
Ourique - (Partido Socialista)
Lisboa - (Partido Socialista)
Portimão - (Partido Socialista)

Não falta aqui nada, nada, nada?
Não tem aqui coisas a mais?
É esta a metodologia que a OCDE utiliza?
Não façam de nós parvos, já basta a quantidade de MENTIRAS com que nos conspurcam todos os dias e, ainda temos que levar com a lata e o descaramento com que se utilizam vergonhosa e impunemente essas MENTIRAS

BRAVO MARIA DE LURDES ... TU ÉS O MÁXIMO!

Depois de se habituarem a contratar crianças para as apresentações nas escolas do dito "Magalhães", eis que agora acabam de contratar uns amigos peritos internacionais para virem a Portugal dizer o que estava, ao que parece, encomendado.
E a encenação é tão grande que NA VÉSPERA, o Portal da Educação anunciava com toda a pompa e circunstância este ... "final feliz"

E vai daí, o também dito "engenheiro" que se diplomou a um domingo (NUNCA é demais recordar a epopeia) ficou de tal forma satisfeito e ... surpreendido (ahahahaha) que disparou:
O próximo passo, ao que parece, é o ensino do Inglês Técnico nas escolas do 1º ciclo em Portugal.

domingo, 25 de janeiro de 2009

AS MÃES TAMBÉM SE ENGANAM



“Pára de mentir! Vê lá se deixas de ser mentiroso! Pensas que com tantas mentiras seguidas vais conseguir ser alguém na vida?”

Mãe de Sócrates

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

OS ABONOS DOS DEPUTADOS ... DUPLICAM VENCIMENTOS

Em Portugal, os deputados ganham 3708 euros de salário-base, o que corresponde a 50% do vencimento do presidente da República. Os subsídios de férias e de Natal são pagos em Junho e em Novembro e têm direito a10% do salário para despesas de representação. Como também lhes são pagos abonos de transporte entre a residência e São Bento uma vez por semana, e por cada deslocação semanal ao círculo de eleição, um deputado do Porto, por exemplo, pode receber mais dois mil euros, além do ordenado.

De acordo com o "Manual do Deputado", os representantes do povo podem estar no regime de dedicação exclusiva e acumularem com o pagamento de direitos de autor, conferências, palestras, cursos breves, etc. Como o fim da subvenção vitalícia irá abranger somente (PORQUÊ?) os deputados eleitos em 2009, os que perfaçam até ao final da legislatura 12 anos de funções (consecutivos ou intervalados) ainda a recebem, mas com menor valor. Quem já tinha 12 anos de funções quando a lei entrou em vigor - em Outubro de 2005 - terá uma subvenção vitalícia de 48% do ordenado base - pelo actual valor, quase 1850 euros - logo que completar 55 anos.
O Governo acautelou assim a situação de parte dos deputados do PS eleitos em 1995, com a primeira vitória de Guterres, pelo que ao fim de dez anos de actividade (até 2005) poderão auferir a pensão vitalícia que corresponde a 40% do vencimento-base - dez anos a multiplicar por 4% do vencimento base auferido quando saiu do Parlamento. A subvenção é cumulável com a pensão de aposentação ou a de reforma até ao valor do salário base de um ministro que é em 2008 de 4819,94 euros. Os subvencionados beneficiam ainda "do regime de previdência social mais favorável aplicável à Função Pública", diz o documento.

Sócrates recebe pensão vitalícia

José Sócrates tem direito à pensão vitalícia por ter 11 anos de Parlamento. Eleito pela primeira vez em 1987, esteve oito anos consecutivos em funções. Secretário de Estado do Ambiente e ministro da pasta nos Governos de Guterres, voltou em Abril de 2002, onde ficou mais três anos.

Quem tem e vai ter a subvenção

Almeida Santos (PS), Manuela Ferreira Leite, Manuel Moreira e Eduarda Azevedo (PSD), Narana Coissoró e Miguel Anacoreta Correia (CDS-PP) e Isabel Castro (PEV) já requereram a subvenção vitalícia. Outros 31 deputados, 20 dos quais do PS, poderão pedi-la, pois até ao fim de 2009 perfazem 12 anos de mandato, embora só se contabilizem os anos até 2005.
Afonso Candal, por exemplo, foi para lá garoto e imberbe, NUNCA trabalhou, NUNCA fez nada na vida e NADA sabe fazer. Vai receber pensão vitalícia

Salário cresceu 77 euros num ano.

Em 2007, o vencimento-base de um deputado foi 3631,40 euros. Este ano é de 3707,65 euros , segundo a secretaria-geral da AR. Um aumento de 77 euros.

Presidir à AR dá direito a casa

O presidente da Assembleia da República (AR) recebe 80% do ordenado do presidente da República - 5.810 euros. Recebe ainda um abono mensal para despesas de representação no valor de 40% do respectivo vencimento 2950 euros, o que perfaz 8760 euros. Usufrui de residência oficial e de um veículo para uso pessoal conduzido por um motorista.

Dez têm carro com motorista

Ao presidente do Conselho de Administração (José Lello), aos quatro vices-presidentes da AR - na actual legislatura, Manuel Alegre (PS), Guilherme Silva (PSD), António Filipe (PCP) e Nuno Melo (CDS-PP) - e aos líderes parlamentares é disponibilizado um gabinete pessoal, secretário e automóvel com motorista.

Benesses para a Mesa da AR

Para os quatro vice-presidentes da AR (PS, PSD, CDS e PCP) e para os membros do Conselho de Administração, o abono é de 25% do vencimento 927 euros. Os seis líderes parlamentares e os secretários da Mesa têm de abono 20% do salário: 742 euros.

Abono superior ao salário mínimo

Os vice-presidentes parlamentares com um mínimo de 20 deputados (PS e PSD), os presidentes das comissões permanentes e os vice-secretários da mesa têm de abono 15% do vencimento - 555 euros. Mais 129 euros do que o salário mínimo nacional.

Uso gratuito de correio, telefone e electricidade.

Os governos civis, se solicitados, devem disponibilizar instalações para que os deputados atendam os media ou cidadãos. Os deputados podem transitar livremente pela AR, têm direito a cartão de identificação e passaporte especial e ao direito de uso e porte de arma. Podem também usar, a título gratuito, serviços postais, telecomunicações e redes electrónicas.

Ajudas de custo para os de fora

Quem reside fora dos concelhos de Lisboa, Oeiras, Cascais, Loures, Sintra, Vila Franca de Xira, Almada, Seixal, Barreiro e Amadora recebe 1/3 das ajudas de custo fixadas para os membros do Governo (67,24 euros) por cada dia de presença em plenário, comissões ou outras reuniões convocadas pelo presidente da AR e mais dois dias por semana.

Pára-quedistas ficam a ganhar.

Os deputados que residem num círculo diferente daquele por que foram eleitos recebem ajudas de custo, até dois dias por semana, em deslocações que efectuem ao círculo, em trabalho político. Mas também os que, em missão da AR, viajem para fora de Lisboa. No país têm direito a 67,24 euros diários ou a 162,36 euros por dia se forem em serviço ao estrangeiro.

Viagens pagas todas as semanas

Quando há plenário, a quantia para despesas de transporte é igual ao número de quilómetros de uma ida e volta semanal entre a residência do parlamentar e S. Bento vezes o número de semanas do mês (quatro ou cinco) multiplicado pelo valor do quilómetro para deslocações em viatura própria. Uma viagem ao Porto são 600 quilómetros cinco vezes num mês, dá três mil. Como o quilómetro é pago a 0,39 euros, o abono desse mês é de 1170 euros.

Viver na capital também dá abono.

Os deputados que residam nos concelhos de Cascais, Barreiro, Vila Franca de Xira, Sintra, Loures, Oeiras, Seixal, Amadora, Almada e Lisboa recebem também segundo a fórmula anterior. Os quilómetros (ida e volta) são multiplicados pelas vezes que esteve em plenário e em comissões, tudo multiplicado por 0,39 euros.

Ir às ilhas com bilhetes pagos

A resolução 57/2004 em vigor, de acordo com a secretaria-geral da AR, estipula que os eleitos pelas regiões autónomas recebem o valor de uma viagem aerea semanal (ida e volta) na classe mais elevada entre o aeroporto e Lisboa, mais o valor da distância do aeroporto à residência. Por exemplo, 512 euros (tarifa da TAP para o Funchal com taxas) multiplicados por quatro ou cinco semanas, ou seja, 2048 euros. Mais o número de quilómetros (30, por exemplo) de casa ao aeroporto a dobrar (por ser ida e volta) multiplicado pelas mesmas quatro (ou cinco) semanas do mês, e a soma é multiplicada por 0,39 euros, o que dá 936 euros. Ao todo 2980 euros.

Deslocações em trabalho à parte

Ao salário-base, ajudas de custo, abono de transporte mensal há ainda a somar os montantes pela deslocação semanal em trabalho político ao círculo eleitoral pelo qual se foi eleito. Os deputados eleitos por Bragança ou Vila Real são os mais abonados.

Almoço a menos de cinco euros

Os deputados e assessores que transitoriamente trabalham para os grupos parlamentares pagam 4,65 euros de almoço, que inclui sopa, prato principal, sobremesa ou fruta. E salada à discrição. Um aumento de 0,10 euros desde 2006. Nos bares, um café custa 25 cêntimos, uma garrafa de 1,5 litro de água mineral 33 cêntimos e uma sandes de queijo 45 cêntimos.

Imunidade face à lei da Justiça

Não responde civil, criminal ou disciplinarmente pelos votos e opiniões que emitir em funções e por causa delas. Não pode ser detido ou preso sem autorização da AR, salvo por crime punível com pena de prisão superior a três anos e em flagrante delito. Indiciado por despacho de pronúncia ou equivalente, a AR decidirá se deve ou não ser suspenso para acompanhar o processo. Não pode, sem autorização da AR, ser jurado, perito ou testemunha nem ser ouvido como declarante nem como arguido, excepto neste caso quando preso em flagrante delito ou suspeito do crime a que corresponde pena superior a três anos.

Justificações para substituição.

Doença prolongada, licença por maternidade ou paternidade; seguimento de processo judicial ou outro invocado na Comissão de Ética, é considerado justificado.

Suspensão pode ir até dez meses

Pedida à Comissão de Ética, deve ser inferior a 50 dias por sessão legislativa e a dez meses por legislatura. Um autarca a tempo inteiro ou a meio tempo só pode suspender o mandato por menos de 180 dias.

DA SENILIDADE DE ALMEIDA SANTOS AOS COITADINHOS DOS DEPUTADOS

Almeida Santos e as faltas dos deputados:



«Não se paga aos deputados o suficiente para que sejam todos apenas profissionais. Quanto às justificações para as faltas, é verdade que a sexta-feira é, em si própria uma justificação, porque é véspera de fim-de-semana. Eu compreendo isso. Talvez esteja errado que as votações sejam à sexta-feira. Não julguemos também que ser deputado é uma escravatura, porque não é, nem pode ser. É preciso é arranjar horas para a votação que não sejam as horas em que normalmente seja mais difícil e mais penoso estar na Assembleia da República».


Pois... pobres deputados que ganham só 3708 euros de salário-base, mais10% do salário para despesas de representação, entre outras regalias

Para qualquer trabalhador, a sexta-feira é, em si própria uma justificação para faltar ao trabalho, aliás, acho que tal justificação está mesmo contemplada no novo código de trabalho. Ser deputado não pode ser uma escravatura - escravatura é para os trabalhadores a recibos verdes, para os trabalhadores que acumulam horas em cima de horas sem a devida compensação, para os trabalhadores com horários tão flexíveis que não os conseguem conciliar com a vida familiar. É,portanto, penoso estar na Assembleia da República à 6ªF...pois o Sr. Dr. Almeida Santos não se apercebe o penoso que é para o vulgar cidadão ouvir frases tão deslocadas da realidade que são até ofensivas para quem, de facto, trabalha.


segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

PROFESSORES E DEPUTADOS PS QUE VOTARAM CONTRA A SUSPENSÃO

Embora alguns tenham feito vida no parlamento e à custa disso já têm uma reforma dourada garantida, outros há que talvez lhes possa, de facto, dizer que "para o ano cá os esperamos".
E não podem dizer que desconhecem a razão e a justiça das nossas lutas ao contrário de muito "zé povinho" que vai sendo enganado pela máquina de propaganda do governo.
Votaram a favor de uma injustiça que conhecem muito bem na ganância de poderem lá continuar por mais uma legislatura.
IMPERDOÁVEL. INQUALIFICÁVEL

JOSÉ SÓCRATES - MOÇÃO PARA GOVERNAR O QUE ELE DESGOVERNOU E NUNCA SOUBE FAZER MELHOR

Às vezes até parece que quer fazer de nós parvos. São estes tiques autoritários e este síndroma de Pinóquio que irritam qualquer um.

É verdadeiramente arrepiante como este indivíduo tem o descaramento e a lata em alimentar demagogia e tretas quando, já todos sabem que, TUDO o que possa vir dele é uma PURA E GRANDE MENTIRA.

Como é possível ouvir Sócrates dizer que vai ajudar a classe média que se encontra perfeitamente estrangulada com impostos quando é ele próprio o grande e único responsável pelo agravamento desses impostos. Mas alguém vai acreditar nestas promessas e principalmente no alijar de responsabilidades? Só um parvo e mesmo assim tenho sérias dúvidas. Será que ele pensa nas PROMESSAS que fez e NUNCA cumpriu , APENAS E SÓ para poder ganhar as eleições? Acha que nos esquecemos?

Quer legalizar o casamento civil entre homossexuais e o direito à paternidade.

Foi hilariante a forma como ele aumentou o tom de voz quando anunciava este propósito e a salva de palmas em histeria de todos aqueles socialistas que o acompanhavam. Estava de facto a anunciar uma grande coisa. É isso que vai fazer diminuir a inflação, o deficit, o desemprego e melhorar o nível de vida dos portugueses. Eis o segredo tão bem guardado: o casamento entre maricas. Mas enfim, cada um é livre de se poder orgulhar com o que melhor lhe aprouver e ninguém tem nada a ver com isso.

Ok, até admito que perceba mais dessas coisas do que de saber governar, que é coisa onde já se posicionou na galeria dos maiores ignorantes.

Mas já agora, gostaria de lhe deixar um pequeno conselho: antes de entrar por aquilo que lhe deixa os olhos a brilhar - o casamento dos homossexuais - que aproveite e vá tirar uma licenciatura "à séria", das verdadeiras, daquelas que se tiram durante a semana de trabalho e não enquanto os portugueses estão na missa.
Com exames, com avaliações, com professores.
Para isso terá obviamente que estudar, não se fazem exames por fax

A AVALIAÇÃO DE PROFESSORES FOI SUSPENSA NOS AÇORES

Não percebo como a imprensa portuguesa - Televisão, Rádio e Jornais - foi tão célere em comentar a decisão na Madeira de Alberto João Jardim em SUSPENDER este modelo absurdo e cadavérico da avaliação de professores em versão chilena e estar tão CALADA com esta tomada de posição do Governo Regional dos Açores.



"A Secretária Regional da Educação e Formação mostrou-se sensível aos argumentos do SPRA publicados no Correio dos Açores e no Diário Insular de 08 de Janeiro no sentido de se proceder a uma avaliação simplificada este ano, que passará pela elaboração de apenas um relatório, a realizar pelos docentes."

domingo, 18 de janeiro de 2009

19 de JANEIRO - GREVE GERAL DE PROFESSORES

HOJE É DIA DE GREVE

EU ESTOU EM GREVE:

FIRME E HIRTO !!

--

NUNCA UMA CLASSE RESISTIU TANTO E DURANTE TANTO TEMPO CONTRA A INCOMPETÊNCIA E DEMAGOGIA.

E, CONTINUAREMOS O TEMPO E COM OS SACRIFÍCIOS QUE FOREM NECESSÁRIOS







sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

AS GRANDES VERDADES SÃO INTEMPORAIS ...

Já o dizia THOMAS JEFFERSON... há 200 anos



terça-feira, 13 de janeiro de 2009

MÁRIO SOARES ESTÁ XÉ-XÉ ? NÃO, SEMPRE O FOI !!



Vale a pena recuperar aquilo que 5dias.net nos diz a propósito de um reformado da política que nos continua a sugar dinheiro todos os dias com as benesses vitalícias. O que mais me espanta é que as televisões (algumas) ainda perdem o seu tempo dando-lhe tempo de antena para dizer as maiores asneiras que lhe temos vindo a ouvir.

Mário Soares, num dos momentos de lucidez que ainda vai tendo, veio chamar a atenção do Governo, na última semana, para a voz da rua. A lucidez, uma das suas maiores qualidades durante uma longa carreira política.

A lucidez que lhe permitiu escapar à PIDE e passar um bom par de anos, num exílio dourado, em hotéis de luxo de Paris.

A lucidez que lhe permitiu conduzir da forma «brilhante» que se viu o processo de descolonização.

A lucidez que lhe permitiu conseguir que os Estados Unidos financiassem o PS durante os primeiros anos da Democracia.

A lucidez que o fez meter o socialismo na gaveta durante a sua experiência governativa.

A lucidez que lhe permitiu governar sem ler os «dossiers».

A lucidez que lhe permitiu não voltar a ser primeiro-ministro depois de tão fantástico desempenho no cargo.

A lucidez que lhe permitiu pôr-se a jeito para ser agredido na Marinha Grande e, dessa forma, vitimizar-se aos olhos da opinião pública e vencer as eleições presidenciais.

A lucidez que lhe permitiu, após a vitória nessas eleições, fundar um grupo empresarial, a Emaudio, com «testas de ferro» no comando e um conjunto de negócios obscuros que envolveram grandes magnatas internacionais.

A lucidez que lhe permitiu utilizar a Emaudio para financiar a sua segunda campanha presidencial.A lucidez que lhe permitiu nomear para Governador de Macau Carlos Melancia, um dos homens da Emaudio.

A lucidez que lhe permitiu passar incólume ao caso Emaudio e ao caso Aeroporto de Macau e, ao mesmo tempo, dar os primeiros passos para uma Fundação na sua fase pós-presidencial.

A lucidez que lhe permitiu ler o livro de Rui Mateus, «Contos Proibidos», que contava tudo sobre a Emaudio, e ter a sorte de esse mesmo livro, depois de esgotado, jamais voltar a ser publicado.

A lucidez que lhe permitiu passar incólume às «ligações perigosas» com Angola, ligações essas que quase lhe roubaram o filho no célebre acidente de avião na Jamba (avião esse que, no dizer do Ministro da Comunicação social de Angola, iria carregado de diamantes).

A lucidez que lhe permitiu, durante a sua passagem por Belém, visitar 57 países («record» absoluto para a Espanha - 24 vezes - e França - 21), num total equivalente a 22 voltas ao mundo (mais de 992 mil quilómetros).

A lucidez que lhe permitiu visitar as Seychelles, esse território de grande importância estratégica para Portugal.

A lucidez que lhe permitiu, no final destas viagens, levar para a Casa-Museu João Soares uma grande parte dos valiosos presentes oferecidos oficialmente ao Presidente da República Portuguesa.

A lucidez que lhe permitiu guardar esses presentes numa caixa-forte blindada daquela Casa, em vez de os guardar no Museu da Presidência da República.

A lucidez que lhe permite, ainda hoje, ter 24 horas por dia de vigilância paga pelo Estado nas suas casas de Nafarros, Vau e Campo Grande.

A lucidez que lhe permitiu, abandonada a Presidência da República, constituir a Fundação Mário Soares. Uma fundação de Direito privado, que, vivendo à custa de subsídios do Estado, tem apenas como única função visível ser depósito de documentos valiosos de Mário Soares. Os mesmos que, se são valiosos, deviam estar na Torre do Tombo.

A lucidez que lhe permitiu construir o edifício-sede da Fundação violando o PDM de Lisboa, segundo um relatório do IGAT, que decretou a nulidade da licença de obras.

A lucidez que lhe permitiu receber do Estado, ao longo dos últimos anos, donativos e subsídios superiores a um milhão de contos.A lucidez que lhe permitiu receber, entre os vários subsídios, um de quinhentos mil contos, do Governo Guterres, para a criação de um auditório, uma biblioteca e um arquivo num edifício cedido pela Câmara de Lisboa.

A lucidez que lhe permitiu receber, entre 1995 e 2005, uma subvenção anual da Câmara Municipal de Lisboa, na qual o seu filho era Vereador e Presidente.A lucidez que lhe permitiu que o Estado lhe arrendasse e lhe pagasse um gabinete, a que tinha direito como ex-Presidente da República, na… Fundação Mário Soares.

A lucidez que lhe permite que, ainda hoje, a Fundação Mário Soares receba quase 4 mil euros mensais da Câmara Municipal de Leiria.

A lucidez que lhe permitiu fazer obras no Colégio Moderno, propriedade da família, sem licença municipal, numa altura em que o Presidente era… João Soares.

A lucidez que lhe permitiu silenciar, através de pressões sobre o director do «Público», José Manuel Fernandes, a investigação jornalística que José António Cerejo começara a publicar sobre o tema.

A lucidez que lhe permitiu candidatar-se a Presidente do Parlamento Europeu e chamar dona de casa, durante a campanha, à vencedora Nicole Fontaine.

A lucidez que lhe permitiu considerar José Sócrates «o pior do guterrismo» e ignorar hoje em dia tal frase como se nada fosse.

A lucidez que lhe permitiu passar por cima de um amigo, Manuel Alegre, para concorrer às eleições presidenciais uma última vez.A lucidez que lhe permitiu, então, fazer mais um frete ao Partido Socialista.

A lucidez que lhe permitiu ler os artigos «O Polvo» de Joaquim Vieira na «Grande Reportagem», baseados no livro de Rui Mateus, e assistir, logo a seguir, ao despedimento do jornalista e ao fim da revista.

A lucidez que lhe permitiu passar incólume depois de apelar ao voto no filho, em pleno dia de eleições, nas últimas Autárquicas.

No final de uma vida de lucidez, o que resta a Mário Soares? Resta um punhado de momentos em que a lucidez vem e vai. Vem e vai. Vem e vai. Vai… e não volta mais.

E já agora, a mesma lucidez com no seu brilhante curriculo se envolveu vergonhosamente no Holocausto em Angola.

É o país que temos e talvez até seja o país que merecemos

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

E VOCÊ ... É PERSPICAZ?

Admito que não não sendo difícil, ainda assim, requer alguma perspicácia da sua parte. Concentre-se!

Veja se descobre o Nuno Gomes. Puxe pela cabeça!!

.

domingo, 11 de janeiro de 2009

ANGOLA - A MELHOR TERRA DO MUNDO

A terra que me viu nascer . . .
A MINHA ETERNA NAMORADA




Angola I




Angola II




Angola III




Angola IV




Angola V

GREVE DIA 19 DE JANEIRO 2009

A Escola Pública está de luto e em luta.

Dia 19 de Janeiro mais um dia de greve.

Não tenhas qualquer dúvida, este dia é fundamental.

É mais um




quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

SÓCRATES - UM MENTIROSO COMPULSIVO, ESTÁ-LHE NO SANGUE E NÃO TEM EMENDA


Este tipo é um caso patológico ou profissional da mentira….de tão contumaz e relapso é…mas nós é que sofremos na pele e na carteira….

Este José Sócrates é de facto, um verdadeiro Menino Prodígio

Um autêntico FENÓMENO – ou não se tivesse ele até "licenciado" a um DOMINGO - José Sócrates acompanhou com três anos de idade as presidenciais norte-americanas*

As palavras são do primeiro-ministro José Sócrates na extensa entrevista que concedeu no último fim-de-semana:

"Sou, digamos assim, da geração Kennedy. Essa eleição representou já um momento histórico. Lembro-me do debate que houve na América quando, pela primeira vez, um católico se candidatou a presidente. O próprio Kennedy teve de vincar bem que nunca receberia ordens do Papa enquanto presidente dos EUA.
Lembro-me bem do que isso significou."

Nos meios socialistas e não só estas palavras causaram espanto ou perplexidade. O caso não é para menos: se a biografia oficial está correcta, José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa nasceu no dia 6 de Setembro de 1957 em Vilar de Maçada, concelho de Alijó, distrito de Vila Real. E John F. Kennedy foi eleito presidente dos EUA em Novembro de 1960, com uma vantagem de 112 881 votos sobre o republicano Richard Nixon.

Isto é, nesse tempo José Sócrates tinha três anos de idade. Perante estes factos, há quem entenda que o primeiro-ministro é um sobredotado. Mas há quem tenha outra explicação para este facto extraordinário.

A certidão de nascimento pode ter sido adulterada por alguém ou o registo ter sido feito mais tarde e Sócrates ser mais velho do que pensa. Quem sabe? Já vimos coisas bem piores!!

Uma coisa é certa, fenómenos destes só são possíveis em Vilar de Maçada!!

TANTA FANTOCHADA DE A a z

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

"LEALDADE NÃO SIGNIFICA OBEDIÊNCIA" - DIZ SÓCRATES E EU CONCORDO


A desorientação deste governo é enorme e o seu autismo apenas reflecte a conveniência daquilo que no momento mais lhes interessa.

Os professores têm nas palavras do primeiro ministro José Sócrates, o tal que se licenciou a um DOMINGO, o melhor exemplo para a sua luta, seguindo à risca, por vezes, o seu pensamento.

Referindo-se à polémica em torno do Estatuto dos Açores como uma diferença de leituras entre o Presidente da República e a Assembleia da República, José Sócrates afirmou que «lealdade não significa obediência», o que configura do mesmo modo a leitura que podemos e devemos fazer relativamente às diferenças que temos com o ECD e este modelo de avaliação.

De facto, "lealdade não significa obediência", é isso mesmo. Eu e os professores em geral, estamos TODOS de acordo com ele. Provavelmente pela primeira vez conseguimos finalmente estar em sintonia!!!!

E mais, quando o SE Jorge Pedreira vem avisar que quem não cumpre a lei é penalizado, esqueceu-se de dizer que O PRIMEIRO a NÃO CUMPRIR a lei foi o próprio JOSÉ SÓCRATES que foi apanhado a fumar no avião, mais os ministro Manuel Pinho entre outros, indo descaradamente contra uma lei que ele próprio tinha criado. Antes, já o o inspector-geral da ASAE, António Nunes, tinha sido apanhado a fumar na passagem de ano depois de a nova lei do tabaco estar em vigor, no Casino de Estoril.

domingo, 4 de janeiro de 2009

OS PAPÁS É QUE MANDAM


ISTO É O MESMO QUE ESCREVER:
"DE: encarregado de educação
PARA: professora
MENSAGEM: o meu educando não leva livros porque não lhe apetece ter aulas.
ASSINATURA: o papá "

sábado, 3 de janeiro de 2009

BRUNO ALVES - O JOGADOR (DE SEMPRE) MAIS AVISADO DO MUNDO

AINDA DIZEM QUE O APITO DOURADO JÁ ACABOU ... TÁ BÉM ESTÁ!!!
CARTÕES? PARA QUÊ ? SÓ SE FOR PARA OS OUTROS!
A ELE ... BASTA AVISÁ-LO.











sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

REVOLUÇÃO: COMEÇOU A NOVA ERA

INTERESSANTE !!

Uma nova Era já começou!
Está a acontecer na nossa rua e à nossa volta e ainda não percebemos que a Revolução, uma nova Era, já começou!
As pessoas andam um bocado distraídas! Não deram conta que, há cerca de 3 meses, começou a Revolução! Não! Não me refiro a nenhuma figura de estilo, nem escrevo em sentido figurado! Falo mesmo da Revolução 'a sério' e em curso, que estamos a viver, mas da qual andamos distraídos (desprevenidos) e não demos conta do que vai implicar. Mas falo, seguramente, duma Revolução!
De facto, há cerca de 3 ou 4 meses começaram a dar-se alterações profundas e de nível global, em 10 dos principais factores que sustentam a sociedade actual. Num processo rápido e radical, que resultará em algo novo, diferente e porventura traumático, com resultados visíveis dentro de 6 a 12 meses... E que irá mudar as nossas sociedades e a nossa forma de vida nos próximos 15 ou 25 anos!
... tal como ocorreu noutros períodos da história recente: no status político-industrial saído da Europa do pós-guerra, nas alterações induzidas pelo Vietname/ Woodstock/ Maio de 68 (além e aquém Atlântico), ou na crise do petróleo de 73. Estamos a viver uma transformação radical, tanto ou mais profunda do que qualquer uma destas! Está a acontecer na nossa rua e à nossa volta, e ainda não percebemos que a Revolução já começou!
Façamos um rápido balanço da mudança e do que está a acontecer aos '10 factores':

1º- A Crise Financeira Mundial: desde há 8 meses que o Sistema Financeiro Mundial está à beira do colapso (leia-se 'bancarrota') e só se tem aguentado porque os 4 grandes Bancos Centrais mundiais - a FED, o BCE, o Banco do Japão e o Tesouro Britânico - têm injectado (eufemismo que quer dizer: 'emprestado virtualmente à taxa zero') montantes astronómicos e inimagináveis no Sistema Bancário Mundial, sem o qual este já teria ruído como um castelo de cartas. Ainda ninguém sabe o que virá, ou como irá acabar esta história !...

2º- A Crise do Petróleo: Desde há 6 meses que o petróleo entrou na espiral de preços. Não há a mínima ideia/teoria de como irá terminar. Duas coisas são porém claras: primeiro, o petróleo jamais voltará aos níveis de 2007 (ou seja, a alta de preço é adquirida e definitiva, devido à visão estratégica da China e da Índia que o compram e amealham!) e começarão rapidamente a fazer sentir-se os efeitos dos custos de energia, de transportes, de serviços. Por exemplo, quem utiliza frequentemente o avião, assistiu há 2 semanas a uma subida no preço dos bilhetes de... 50% (leu bem: cinquenta por cento). É escusado referir as enormes implicações sociais deste factor: basta lembrar que por exemplo toda a indústria de férias e turismo de massas para as classes médias (que, por exemplo, em Portugal ou Espanha representa 15% do PIB) irá virtualmente desaparecer em 12 meses! Acabaram as viagens de avião baratas (...e as férias massivas!), a inflação controlada, etc...

3º- A Contracção da Mobilidade: fortemente afectados pelos preços do petróleo, os transportes de mercadorias irão sofrer contracção profunda e as trocas físicas comerciais (que sempre implicam transporte) irão sofrer fortíssima retracção, com as óbvias consequências nas indústrias a montante e na interpenetração económica mundial.

4º- A Imigração: a Europa absorveu nos últimos 4 anos cerca de 40 milhões de imigrantes, que buscam melhores condições de vida e formação, num movimento incessante e anacrónico (os imigrantes são precisos para fazer os trabalhos não rentáveis, mas mudam radicalmente a composição social de países-chave como a Alemanha, a Espanha, a Inglaterra ou a Itália). Este movimento irá previsivelmente manter-se nos próximos 5 ou 6 anos! A Europa terá em breve mais de 85 milhões de imigrantes que lutarão pelo poder e melhor estatuto sócio-económico (até agora, vivemos nós em ascensão e com direitos à custa das matérias-primas e da pobreza deles)!

5º- A Destruição da Classe Média: quem tem oportunidade de circular um pouco pela Europa apercebe-se que o movimento de destruição das classes médias está de facto a 'varrer' o Velho Continente! Em Espanha, na Holanda, na Inglaterra ou mesmo em França os problemas das classes médias são comuns e (descontados alguns matizes e diferente gradação) as pessoas estão endividadas, a perder rendimentos, a perder força social e capacidade de intervenção.

6º- A Europa Morreu: embora ainda estejam projectar o cerimonial do enterro, todos os Euro-Políticos perceberam que a Europa moribunda já não tem projecto, já não tem razão de ser, que já não tem liderança e que já não consegue definir quaisquer objectivos num 'caldo' de 27 países com poucos ou nenhuns traços comuns!... Já nenhum Cidadão Europeu acredita na 'Europa', nem dela espera coisa importante para a sua vida ou o seu futuro! O 'Requiem' pela Europa e dos 'seus valores' foi chão que deu uvas: deu-se há dias na Irlanda!

7º- A China ao assalto! Contou-me um profissional do sector: a construção naval ao nível mundial comunicou aos interessados a incapacidade em satisfazer entregas de barcos nos próximos 2 anos, porque TODOS os estaleiros navais do Mundo têm TODA a sua capacidade de construção ocupada por encomendas de navios... da China.. O gigante asiático vai agora 'atacar' o coração da Indústria europeia e americana (até aqui foi just a joke...). Foram apresentados há dias no mais importante Salão Automóvel mundial os novos carros chineses. Desenhados por notáveis gabinetes europeus e americanos, Giuggiaro e Pininfarina incluídos, os novos carros chineses são soberbos, réplicas perfeitas de BMWs e de Mercedes (eu já os vi!) e vão chegar à Europa entre os 8.000 e os 19.000 euros! E quando falamos de Indústria Automóvel ou Aeroespacial europeia...helás! Estamos a falar de centenas de milhar de postos de trabalhos e do maior motor económico, financeiro e tecnológico da nossa sociedade. À beira desta ameaça, a crise do têxtil foi uma brincadeira de crianças! (Os chineses estão estrategicamente em todos os cantos do mundo a escoar todo o tipo de produtos da China, que está a qualificá-los cada vez mais).

8º- A Crise do Edifício Social: As sociedades ocidentais terminaram com o paradigma da sociedade baseada na célula familiar! As pessoas já não se casam, as famílias tradicionais desfazem-se a um ritmo alucinante, as novas gerações não querem laços de projecto comum, os jovens não querem compromissos, dificultando a criação de um espírito de estratégias e actuação comum...

9º- O Ressurgir da Rússia/Índia: para os menos atentos: a Rússia e a Índia estão a evoluir tecnológica, social e economicamente a uma velocidade estonteante! Com fortes lideranças e ambições estratégicas, em 5 anos ultrapassarão a Alemanha!

10º- A Revolução Tecnológica: nos últimos meses o salto dado pela revolução tecnológica (incluindo a biotecnologia, a energia, as comunicações, a nano tecnologia e a integração tecnológica) suplantou tudo o previsto e processou-se a um ritmo 9 vezes superior à média dos últimos 5 anos! Eis pois, a Revolução!

Tal como numa conta de multiplicar, estes dez factores estão ligados por um sinal de 'vezes' e, no fim, têm um sinal de 'igual'. Mas o resultado é ainda desconhecido e... imprevisível. Uma coisa é certa: as nossas vidas vão mudar radicalmente nos próximos 12 meses e as mudanças marcar-nos-ão (permanecerão) nos próximos 10 ou 20 anos, forçando-nos a ter carreiras profissionais instáveis, com muito menos promoções e apoios financeiros, a ter estilos de vida mais modestos, recreativos e ecológicos.
Espera-nos o Novo Mundo! Como em todas as Revoluções!

Um conselho final: é importante estar aberto e dentro do Novo, visionando e desfrutando das suas potencialidades! Da Revolução! Ir em frente! Sem medo!

Afinal, depois de cada Revolução, o Mundo sempre mudou para melhor!...
Autor Desconhecido

ENFIM ....

Mensagem de Ano Novo do Presidente da República
Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2009

(...)

Portugueses,
Já passámos por outras situações bem difíceis. Não nos resignámos e fomos capazes de vencer.
O mesmo vai acontecer agora. Tenho esperança e digo-o com sinceridade.
Cada um deve confiar nas suas competências, nas suas aptidões e capacidades.
Este é o tempo de resistir às dificuldades, aos obstáculos, às ameaças com que cada um pode ser confrontado.
Não tenham medo.
O futuro é mais do que o ano que temos pela frente.
O futuro será 2009, mas também os anos que a seguir vierem.
Acredito num futuro melhor e mais justo para Portugal, porque acredito na vontade e no querer do nosso povo.
Para todos, Bom Ano de 2009.

Até me apetece substituir "portugueses" por ... professores!!!

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

A AVALIAÇÃO DA MINISTRA DA EDUCAÇÃO - INSUFICIENTE

Avaliadora avaliada

Porque a realidade excede os meus dotes ficcionais, esta Ficha de Avaliação da Doutora Maria de Lurdes Rodrigues, Ministra da Educação, assenta nos critérios seguidos pelo seu Ministério incluindo, a terminologia usada na avaliação de docentes, o número de alíneas e a bitola de classificação.

Níveis de Pontuação: Mínimo 3, máximo 10.

A - Preparação e execução de actividades.

A - 1 Correcção científico-pedagógica e didáctica da planificação.
Classificação obtida - Nível 3
(Não efectuou as reformas previstas no Programa do Governo por falta de trabalho preparatório. As cenas de pugilato, luta greco-romana e intimidação por arma de fogo simulada nas áreas que lhe foram confiadas vão originar um aumento significativo da despesa pública com a contratação à Blackwater (por ajuste directo) de um mercenário israelita por cada sala de aula e dois nas salas dependentes da DREN).

A - 2 Adequação de estratégias.
Classificação obtida - Nível 3
(Não definiu linhas de rumo nem planos de acção que permitissem concretizar a missão delineada, usando como benchmarking nacional os parâmetros seguidos no sistema educativo da Faixa de Gaza.)

A - 3 Adaptação da planificação e das estratégias.
Classificação obtida - Nível 3
(Não obteve eficácia aferível em três anos de actividade, consumindo no processo a maior parcela de verba pública atribuída a um Ministério. Insistiu em manter o organograma dos seus serviços (em particular da DREN) inspirado no modelo das Tentações de Santo Antão de Jeronimus Bosh).

A - 4 Diversidade, adequação e correcção científico-pedagógica das metodologias e recursos utilizados.
Classificação obtida - Nível 3
(A observação empírica dos resultados é indiciária de um inadequado e/ou incorrecto aproveitamento de recursos disponibilizados em sucessivos Orçamentos de Estado em tal monta que fazem o BPP parecer uma operação rentável. Adicionalmente, o seu Ministério atingiu tal desordem que faz a Assembleia Geral do Benfica parecer um retiro de monges Cartuxos).

B - Realização de actividades.
Classificação obtida - Nível 3
(A avaliação conclui que à incapacidade da avaliada na "promoção de clima favorável" se junta a insuficiência de valências de conhecimentos gerais essenciais, como o atesta a confusão que fez a 23 de Junho de 2005 pp. em entrevista televisionada, falhando na distinção entre "República" e "Governo da República". Isto deu novas dimensões ao Estatuto da Autonomia dos Açores e inspirou o Chefe do Estado a crescentes afrontas à vontade do Parlamento com graves e desgastantes consequências para o executivo.

Nas secções C e D da Ficha de Avaliação do Ministério da Educação, nos quatro subgrupos, a avaliada obteve oito classificações de Nível 3, pelo que, feita a média aritmética dos dezasseis parâmetros cotados lhe é atribuída a classificação geral de Insuficiente.

Recomenda-se que sejam propostas à Doutora Maria de Lurdes Rodrigues as seguintes opções: integrar o quadro de mobilidade especial até colocação em Baucau; frequentar um curso das Novas Oportunidades e/ou filiar-se no Movimento Esperança Portugal; aceitar o 12º lugar na lista de espera para o próximo Conselho de Administração da FLAD; frequentar o curso de formação do INA - Limites da Autonomia Regional; ser animadora de As Tardes de Maria de Lurdes na RTP África; integrar a quota ainda disponível para antigos executivos socialistas na Mota Engil, Iberdrola ou BCP.

AFINAL, EM ANGOLA . . . TAMBÉM HÁ NOVAS OPORTUNIDADES!


O velho fazendeiro (do Uíge) está na sua sala, a falar com um amigo, quando um menino passa a correr por ali.

Ele chama-o:

- Diploma, vai dizer à tua avó para trazer um cafezinho aqui p´rá visita!

E o amigo estranhou:

- Mas que nome engraçado tem esse menino!!! É seu parente??
- É meu neto! Eu chamo-o assim porque mandei a minha filha estudar para Luanda e ela voltou com ele.

A PROPÓSITO DE AVALIAÇÕES

José Sócrates queria ter sido professor na Universidade Independente.
Pediu, meteu a cunha ao reitor. NÃO O CONSEGUIU ser, quiçá, por não ter categoria suficiente para isso ou então, talvez até o próprio reitor soubesse muito bem como é que ele se "licenciou", como foi feita a sua avaliação na UNI.

Virá daí a sua frustração e ÓDIO aos professores?

A este:
. Foram-lhe dadas 26 disciplinas de equivalência às quais não teve de fazer qualquer avaliação.
. "Fez" apenas 5 disciplinas na Universidade Independente: 4 delas foram dadas pelo seu amigo Eng. António José Morais, e a outra "foi dada" pelo reitor Luís Arouca.
. "Licenciou-se" a um Domingo
. As avaliações não convencem.









A este:
. Como se não lhe bastasse a má sorte de nunca ter estudado, ainda teve o azar do seu pai ser o Pinto da Costa (diz ele!!)



OS ANGOLANOS MAIS RICOS DE ANGOLA...

Isto é para quem pode, não é para quem quer.

Com mais de 100 milhões de USD
1-José Eduardo dos Santos-Presidente da República
2-Lopo do Nascimento Deputado
3-José Leitão-Chefe da Casa Civil de Luanda
4-Elisio de Figueiredo-Embaixador
5-João de Matos-General
6-Higino Carneiro-Ministro das Obras Públicas
7-Helder Vieira Dias (Kopelipa)-General
8-António Mosquito-Empresário
9-Valentim Amões-Empresário (falecido recentemente)
10-Sebastião Lavrador-Bancário
11-José Severino-Empresário
12-Joaquim David-Ministro da Indústria
13Manuel Vicente-PCA da Sonangol
14-Abilio Sianga-Admnistrador da Sonangol
15-Mário Palhares-PCA do BAI 1
6-Aguinaldo Jaime-Ministro Adjunto do 1°.Ministro
17-França Ndalu-General da Reserva
18-Amaro Taty-Governador do Bié
19-Noé Baltazar-Director Delegado da ASCORP
20-Desidério Costa-Ministro dos Petróleos

Com mais de 50 milhões e menos de 100 milhões de USD
21-João Lourenço-Secretário Geral do MPLA
22-Isaac dos Anjos-Embaixador
23-Faustino Muteka-Ministro da Admnistração do Território
24-António Vandúnem-Secretário do Conselho de Ministros
25-Dumilde Rangel-Governador de Benguela
26-Salomão Xirimbimbi-Ministro das Pescas
27-Fátima Jardim-Ex-Ministra das Pescas
28-Dino Matross-1°.Vice-Presidente da Assembleia Nacional
29-Álvaro Carneiro-Ex-Director Adjunto da Endiama
30-Flávio Fernandes-Ex-PCA da Multiperfil
31-Fernando Miala-Ex-Director dos Servios de Segurança do Estado
32-Armindo César-Empresário
33-Ramos da Cruz-Governador da Huila
34-Gomes Maiato-Governador da Lunda-Norte
35-João E. dos Santos-Governador do Moxico
36-Gonçalves Muandumba-Governador da Lunda-Sul
37-Aníbal Rocha-Governador de Cabinda
38-Ludy Kissassunda-Governador do Zaire
39-Luiz Paulino dos Santos-Ex-Governador do Bié
40-Paulo Kassoma-Governador do Huambo
41-Rui Santos-Empresário
42-Mário António-Membro do BP do MPLA e ADM. da GEFI
43-Silva Neto-Ex-Admnistrador da Sonangol Distribuidora
44-Júlio Bessa-Ex-Ministro das Finanças
45-Paixão Franco-Presidente do FDES
46-Mello Xavier-Deputado e Empresário
47-Kundi-Payhama-Ex-Ministro da Defesa
48-Ismael Diogo-Presidente da FESA
49-Maria Mambo Café-Membro do BP do MPLA
50-Augusto Tomás-Deputado
51-Generoso de Almeida-PCA DO BCI 52-Luiz Faceira-General
53-Cirilo de Sá-General
54-Adolfo Razoilo-General
55-Gilberto Lutukuta-Ministro da Agricultura
56-Simão Júnior-Empresário (Grupo Chamavo e Gema)
57-Carlos Feijó-Acessor da Presidência da República
58-Armando da Cruz Neto-Chefe do Estado Maior das FAA
59-Fernando Borges-Empresário

Os miseráveis:
14.000.000 (catorze milhões)... -Menos de 1 USD...!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bom dinheiro a todos! ... melhor ano 2009 para os catorze milhões de miseráveis.

O SIMPLEX NADA ALTERA - JÁ ANTES LUTÁVAMOS CONTRA O 2/2008

Declaração do secretário-geral da FENPROF a propósito da promulgação pelo PR do Dec-Lei que aprova a "simplificação" da avaliação do desempenho dos docentes para 2008/09

A promulgação, pelo Presidente da República, do decreto regulamentar sobre o regime "simplificado" de avaliação de desempenho não constitui nada de extraordinário nem altera a situação que, sobre este assunto, se vem vivendo.

Esperava-se esta promulgação, pois era obrigatória para que o decreto fosse publicado não tendo havido, da parte do Presidente da República, qualquer indício que levasse a supor que vetaria o diploma.

Se, ao promulgar o diploma legal, o Presidente da República fez o que dele se esperava, o mesmo acontecerá com os professores que, a partir de dia 5 de Janeiro, ao regressarem às escolas, continuarão a fazer o que deles se espera: a lutar, a manter suspensa a aplicação da avaliação do ME e, no dia 19 de Janeiro, a juntar ao objectivo da Greve - exigência de uma revisão do Estatuto da Carreira Docente que, entre outras medidas, elimine a divisão da carreira entre professores e professores-titulares e substitua o modelo de avaliação, incluindo a abolição das quotas para a atribuição das menções mais relevantes - a exigência de suspensão desta avaliação.

Recorda-se que apesar desta promulgação falta ainda a publicação em Diário da República para a entrada em vigor e que, quando isso acontecer, não passa a existir uma situação legalmente estabelecida que contrasta com qualquer vazio anterior. Na verdade, quando os professores decidiram suspender a avaliação nas suas escolas ela também se sujeitava a um quadro legal que estava consagrado no decreto regulamentar n.º 2/2008, passando, apenas, este, e para o ano lectivo em curso, a ser substituído por outro. Além disso, no próximo dia 8, por iniciativa do grupo parlamentar do PSD será votada uma proposta de lei que, a ser aprovada, suspenderá, esta avaliação de desempenho imposta pelo ME e pelo Governo e, agora, promulgada pelo Presidente da República. Não está posta de lado, ainda, a possibilidade de haver recurso aos Tribunais caso o texto final do decreto contrarie quadros legais superiores que deverão ser respeitados.

Pelas razões que antes se referiram, a promulgação deste decreto regulamentar não altera rigorosamente nada no que à luta dos professores e educadores diz respeito. Esta irá continuar, se necessário ainda mais forte.

Mário Nogueira, Secretário-Geral da FENPROF

Declaração feita em 1 de Janeiro de 2009

"NUNCA NINGUÉM PODERÁ DIZER QUE FIZ TUDO O QUE ESTAVA AO MEU ALCANCE PARA DEFENDER OS PROFESSORES" - Cavaco Silva

Cavaco Silva referia, a propósito do Estatuto dos Açores que:

- "É muito importante que os portugueses compreendam o que está em causa neste processo (...)
- (...) "Trata-se de uma solução absurda," (...)
- (...) "Nunca ninguém poderá alguma vez dizer que não fiz tudo o que estava ao meu alcance para defender os superiores interesses do Estado" (...)
- (...) "Nunca ninguém poderá dizer que não fiz tudo o que estava ao meu alcance para impedir que interesses partidários de ocasião se sobrepusessem aos superiores interesses nacionais." (...)

Pois bem, Cavaco Silva, desde o início deste processo em que o ECD dividiu INJUSTA e VELHACAMENTE os professores em 2 categorias por critérios com fins exclusivamente economicistas, NUNCA se preocupou em dizer aos portugueses o quanto estava em causa este processo de ÓDIO aos professores e de explicar a sua génese.

Procurou sim "uma solução absurda" que foi a de se refugiar no diálogo entre as partes mas, ao mesmo tempo, colocar-se descaradamente do lado de uma das parte, o ME.

E agora, agora que sabemos das suas cambalhotas, dos seus interesses, dos seus valores voltados para o seu umbigo, também NUNCA NINGUÉM PODERÁ DIZER QUE ELE FEZ TUDO O QUE ESTAVA AO SEU ALCANCE PARA DEFENDER A JUSTIÇA E A IGUALDADE A QUE OS PROFESSORES TÊM DIREITO. Como cidadão português, era disso que eu esperava, de alguém que nos defendesse já que desta ministra NADA podemos esperar que não seja o desprezo e o ódio pela classe de professores.

E o que para mim é mais grave, é que Cavaco Silva TEM PLENA CONSCIÊNCIA e PERFEITO CONHECIMENTO daquilo de que os professores estão a ser vítimas.

DA BABA E RANHO DO ESTATUTO DOS AÇORES À PROMULGAÇÃO DO SIMPLEX

Cavaco Silva acabou de promulgar ontem à noite o diploma de avaliação dos professores, mais conhecido como o simplex, uma autêntica manta de retalhos e uma verdadeira carcaça de um modelo já desacreditado publicamente pela ministra, por diversas vezes, inclusivamente na Assembleia da República.

Deu assim luz verde à nova versão do modelo apresentado há algumas semanas pela ministra da Educação, um modelo que continua a ser altamente contestado pelos docentes e que motivou uma onda de protestos nos últimos meses.
Para quem pedia diálogo entre governo e professores, não está mau. O lado para o qual pendia, já todos sabíamos mesmo conhecendo claramente, por obrigação, que este modelo e que o ECD são do mais injusto que há para a classe docente.

O que torna engraçado é a baba e o ranho com que estrebuchou por causa do Estatuto dos Açores. Quer dizer, não parou de nos encher os ouvidos por causa de um artigo que punha em causa, e eu até nisso lhe dou TODA a razão, a sua posição de chefe de estado e se tornava injusta e irregular (e anticonstitucional) a dependência perante a Assembleia dos Açores, contudo, já não acha injusta a forma como o Estatuto da Carreira Docente está feita e o cadáver do modelo caduco de uma avaliação sem pernas para andar e que, mais tarde ou mais cedo há-de DESAPARECER PARA SEMPRE.
Diálogo, diz ele ... está à vista !!

A luta vai continuar, podem ter a certeza.